Premiados

  • Alberto Courrege Gomide (in memoriam)

    Engenheiro eletricista formado pela Universidade de São Paulo, especificou o software para receber na FAPESP o primeiro sinal da Internet no Brasil, em janeiro de 1991. Gomide realizou, à mão, os primeiros registros .com.br, ao examinar os pedidos caso a caso e fornecer o número IP que identificava cada computador.

  • Amaro Moraes e Silva Neto (in memoriam)

    Advogado, se especializou em direito digital, foi pioneiro em tratar de questões jurídicas relacionadas à Internet. Criou em 1996 o site Avocati Locus, escreveu os livros "Privacidade na Internet "(2001) e "Emails Indesejados" (2002). Mantendo-se em sua trilha, também editou o sítio "Direito e Internet" em 2010.

  • Arthur Pereira Nunes (in memoriam)

    Foi um dos expoentes na formulação e implantação da Política Nacional de Informática no país e na instalação da Indústria Brasileira de Computadores. Graduado em Administração pela Fundação Getúlio Vargas, com Pós-Graduação no Instituto Internacional de Administração Pública de Paris, sua carreira foi em grande parte dedicada ao setor público. Prestou inúmeras contribuições ao setor de informática nacional exercendo cargos em diversos órgãos. Arthur foi um dos coordenadores do CGI.br.

  • Hebert José de Souza (Betinho) – in memoriam

    Encarnou, nos seus quase 62 anos de vida, a expectativa e o projeto de um Brasil democrático, humanista, ético e solidário, e sua trajetória pessoal está diretamente ligada aos grandes momentos da história recente do Brasil. Ao voltar do exílio, formou a ONG IBASE, sua trincheira em temas como a democratização da informação, o que levou à criação do primeiro provedor de acesso à Internet no Brasil. Em razão de sua relação de amizade mantida desde a juventude com o então Ministro Sérgio Motta, incentivou a criação do CGI.br num modelo com participação multissetorial.

  • Luiz Fernando Gomes Soares (in memoriam)

    Professor do Depto de Informática e Doutorado na PUC-Rio, pós-doutorado pela Ecole Nationale Supérieure des Télécommunications, especialista convidado do World Wide Web Consortium, representante da academia no Fórum Brasileiro de TV Digital, editor da Recomendação H.761 do ITU-T para serviços IPTV, a primeira contribuição totalmente brasileira a tornar um padrão internacional adotado em vários países da América Latina. Suas pesquisas com linguagem NCL e o Ginga deram origem a duas Normas ABNT, ambas fundamentais para a TV Digital interativa. Foi conselheiro da SBC, sendo seu presidente e vice de 1999 a 2003.

  • Sergio Roberto Vieira da Motta (in memoriam)

    Engenheiro Industrial pela Pontifícia Universidade Católica de São Paulo (PUC-SP), foi Ministro das Comunicações do Governo de Fernando Henrique Cardoso, quando comandou o processo de privatização das telecomunicações. Como Ministro das Comunicações em 1995, juntamente ao Ministro da Ciência e Tecnologia, editou e publicou a portaria conjunta de criação do CGI.br em 21 de maio de 1995.

  • Aleksandar Mandić

    Empreendedor brasileiro pioneiro na área de telecomunicações, foi um dos primeiros executivos na década de 90 a explorar comercialmente o provimento de acesso à Internet no Brasil, por meio da MANDIC BBS que se transformou em uma das gigantes da Internet no país.

  • Benedicto Fonseca Filho

    Diplomata brasileiro, atual Cônsul-geral do Brasil em Boston. Embaixador Benedicto foi chefe do departamento de Ciência e Tecnologia do Itamaraty onde teve atuação decisiva para a concepção e realização do evento NETmundial. Atuou ativamente, por vários anos junto ao CGI.br e em Fóruns internacionais, como ICANN, WSIS e o IGF. Coordenou, entre 2016 e 2018, o Grupo de Trabalho sobre Cooperação Aprimorada, da Comissão de Ciência e Tecnologia para o Desenvolvimento das Nações Unidas. Por sua dedicação, representantes de diversos países o homenagearam em 2018, durante o IGF em Paris, França.

  • Caio Túlio Costa

    Jornalista e executivo na área digital, foi fundador e diretor geral do UOL até 2002, um dos portais pioneiros da Internet no Brasil e de sucesso até hoje. Também presidiu o Internet Group, que reuniu o iG, o iBest e o BrTurbo. Desde 2017 está à frente da Torabit, plataforma de monitoramento digital da qual é co-fundador.

  • Carlos Alberto Afonso

    C.A., como é conhecido, é diretor-executivo do Instituto Nupef. Ingressou em engenharia na Poli-USP, mas é mestre em Economia pela York University do Canadá, onde doutorou-se em Pensamento Social e Político. Co-fundador do IBASE com Betinho, foi diretor de tecnologia e planejamento da RITS e um dos pioneiros no desenvolvimento da Internet no Brasil, ao criar o Alternex em 1987, o primeiro provedor de serviços de Internet do país em 1989. Em 1992 liderou o projeto de Internet da Eco '92, em parceria com a RNP e a APC. Trabalhou para a criação do CGI.br e indicado como membro em 95. Em 2003, participou de sua reestruturação, e eleito para representar o terceiro setor até 2017.

  • Cristina De Luca

    Jornalista e Master em Marketing, tem mais de 30 anos de experiência na produção de conteúdo multiplataforma sobre o mercado de Tecnologia da Informação e da Comunicação. Atuou como repórter, colunista, editora e diretora de conteúdo em veículos das Organizações Globo, do Grupo IDG, das Editoras JB, O Dia e do portal Terra. É ganhadora dos prêmios Comunique-se (em 2005, 2010 e 2014) e Especialistas (em 2017, 2018 e 2019), todos na categoria Tecnologia da Informação.

  • Demi Getschko

    Engenheiro eletricista formado pela Poli/USP, com mestrado e doutorado em Engenharia, Demi é representante de notório saber em assunto da Internet no CGI.br, Diretor-Presidente do NIC.br e Professor Associado da PUC-SP. Foi o responsável pela primeira conexão TCP/IP brasileira, em 1991. Membro da diretoria da ICANN entre 2005 e 2009 e membro fundador da ISOC Brasil. Entre algumas de suas condecorações, em 2014 foi eleito para o Hall da Fama da Internet na categoria “Conectores Globais”, e em 2016 foi admitido na Ordem do Mérito das Comunicações no “Grau de Oficial” como forma de reconhecimento aos seus serviços relevantes prestados às Comunicações.

  • Edmundo de Souza e Silva

    Engenheiro pela PUC-RJ e Ph.D. em Computação pela UC-Los Angeles, é Professor Titular da COPPE/UFRJ e pesquisador I-A do CNPq. Foi membro do Comitê Assessor do CNPq, e na CAPES foi Coordenador da área de Ciência da Computação. Recebeu a honraria Sócio Destaque da SBC em 2011, o Prêmio Destaque SBRC/SBC 2012 e, em 2017, o reconhecimento como um dos "Construtores da Internet.br" da RNP. Membro do programa “Cientista do Nosso Estado", da FAPERJ, da Academia Brasileira de Ciências e, da Academia Nacional de Engenharia. Em 2008 recebeu a comenda da Ordem Nacional de Mérito Científico.

  • Eduardo Levy Cardoso Moreira

    Engenheiro pela PUC-RJ, fundador e presidente da Virtus Consultoria. Trabalhou na direção de empresas públicas e privadas do setor de telecomunicações, como Embratel, Telebrás e Telerj. Ocupou a presidência-executiva da Telebrasil e do SindiTelebrasil. Foi integrante do Comitê Gestor da Internet (CGI.br) e do Conselho Fiscal do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br), entre outras entidades.

  • Eduardo Tadao Takahashi

    Atua em TIC no Desenvolvimento Econômico e Social desde 1976. Entre 1978 e 1980, iniciou em redes como usuário do "link" entre a Tokyo Institute of Technology-TIT e a Universidade de Tokyo. Em 1986, no então recém criado Ministério da Ciência e Tecnologia, dedicou-se ao tema da Internet no Brasil. Concebeu, criou e dirigiu a RNP entre 88 e 96, e participou da concepção das linhas principais do CGI.br, e também exerceu seu primeiro mandato de conselheiro em 1995. Criou, implantou e dirigiu o Programa Sociedade da Informação - SOCINFO entre 1998 e 2003. Tadao recebeu várias distinções ao longo de sua carreira, incluindo o Global Internet Hall of FAME (2017).

  • Ethevaldo Siqueira

    Jornalista, escritor e consultor especializado em novas tecnologias da informação, comentarista da Rádio Eldorado e ex-repórter e colunista do jornal O Estado de S. Paulo. Foi professor na Escola de Comunicações (ECA) da USP por 20 anos e fundador das revistas RNT e TelePress.

  • Fábio de Oliveira

    Engenheiro, empresário, executivo do setor público e matemático, cofundou, junto a Gustavo Viberti, o portal de buscas mais popular do Brasil no início da Internet comercial, o "Cadê?". Depois de uma experiência com fundos de investimento, dirigiu uma Ong ligada à tecnologia e, após um mestrado em administração pública foi diretor de desenvolvimento econômico na prefeitura do Rio e atualmente é professor de matemática da rede pública.

  • Graciela Selaimen

    Jornalista, mestre em Comunicação e Cultura pela UFRJ. Pioneira no trabalho de defesa de direitos no âmbito das redes digitais, liderou a iniciativa Communication Rights in the Information Society (CRIS) no Brasil, que levou os temas de defesa do direito à comunicação para a Cúpula Mundial para a Sociedade da Informação (WSIS). Atua há mais de 20 anos nas áreas de tecnologias digitais, comunicação, direitos humanos e justiça social. Representou a sociedade civil no Grupo Assessor Multissetorial (MAG) do IGF. Co-fundadora do Instituto Nupef, criou e foi editora-chefe da revista poliTICs.

  • Gustavo Viberti

    Formado em Engenharia da Computação Gustavo Viberti foi um dos pioneiros da Internet no Brasil. Em 1995, fundou, junto com Fábio Oliveira, o "Cadê?", o mais popular sistema de busca brasileiro e durante vários anos uma das marcas mais conhecidas da Internet no país. Começou como uma típica empresa de garagem tendo em pouco tempo alcançado um sucesso de público que fez com que se tornasse a primeira empresa brasileira a vender publicidade online. Em 2000 a empresa foi vendida para o Yahoo. Foi a primeira grande venda de uma empresa brasileira de Internet para um grande player internacional.

  • Hartmut Richard Glaser

    Bacharel em Física (1967) e Mestre em Engenharia Elétrica (1972) pela Universidade de São Paulo (USP), atua desde 1996 no Comitê Gestor da Internet no Brasil, atualmente como Secretário Executivo, além de ser diretor da Assessoria às atividades do CGI.br no NIC.br. Professor de Física e de Eletrônica na USP entre 1968 e 2012, atuou em diversos órgãos relacionados à vida acadêmica, e foi diretor do LACNIC de 2000 a 2018. Em agosto de 2015 foi condecorado pelo Itamaraty com a Ordem de Rio Branco no Grau de Comendador.

  • Ivan Moura Campos

    Professor Emérito de Ciência da Computação pela UFMG e Ph.D. em Ciência da Computação pela Universidade da Califórnia – Los Angeles. Atuou no setor governamental como Diretor de Programas Especiais do CNPq; Secretário de Política de Informática do Ministério da Ciência e Tecnologia; e Secretário de Ciência e Tecnologia do Estado de Minas Gerais. Foi Coordenador do Comitê Gestor da Internet no Brasil e membro da diretoria da ICANN. Co-fundador da Akwan, adquirida pelo Google, e da Hekima, empresa de soluções de Inteligência Artificial, adquirida pelo iFood.

  • José Israel Vargas

    Doutor pela Universidade de Cambridge, no Reino Unido, foi professor catedrático da Universidade Federal de Minas Gerais, que em 1989 conferiu-lhe o título de professor emérito. Foi ministro de Ciência e Tecnologia nas gestões dos presidentes Itamar Franco e Fernando Henrique Cardoso. Atuou como presidente do Conselho Executivo da UNESCO e o embaixador do Brasil junto a este órgão. Como Ministro de Ciência e Tecnologia, juntamente ao Ministro das Comunicações, editaram e publicaram a portaria criando o CGI.br em 31 de maio de 1995.

  • José Roberto Boisson de Marca

    O Prof. Boisson foi Presidente Mundial e CEO do IEEE. Ele é Membro-Titular da Academia Brasileira de Ciências e também da Academia Nacional de Engenharia. É Comendador da Ordem Nacional do Mérito Científico. É Membro Fellow do IEEE. Foi Membro Titular do Conselho Nacional de C&T entre 2016 e 2019. O Prof. Boisson foi por quatro anos o Presidente do Laboratório Nacional de Redes de Computadores – LARC, quando foi consolidado o SBRC e foi desenvolvido um projeto pioneiro de protocolo de transporte. Durante a sua gestão como Diretor do CNPq autorizou a concessão dos primeiros recursos para a implantação da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa - RNP.

  • Lia Ribeiro Dias

    Jornalista pela ECA/USP, com mestrado em Comunicação e Tecnologia pela Faculdade Cásper Líbero/SP. Trabalhou por mais de 30 anos no mercado editorial especializado, nas áreas de informática, telecomunicações e Internet. Foi fundadora e sócia da Momento Editorial, onde dirigiu por dez anos a revista ARede, voltada à inclusão digital de jovens de baixa renda. Lia é também coautora de diversos livros.

  • Liane Margarida Rockenbach Tarouco

    Doutora em Engenharia Elétrica/Sistema Digitais -USP e Mestre em Ciência da Computação - UFRGS. Professora titular da UFRGS. Pesquisadora das áreas de Redes de Computadores, Gerência de Rede, Internet das Coisas e Informática na Educação (Novas Tecnologias Educacionais incluindo mundos virtuais 3D, mobile learning, realidade aumentada e agentes conversacionais). Atual coordenadora do Programa de Pós-Graduação em Informática na Educação. Autora do primeiro livro sobre redes escrito no Brasil (1978). Participou da criação da RNP e da Rede TCHÊ (rede estadual do RS), tendo integrado o primeiro Comitê Técnico da RNP e da Rede Tchê. Coordenou a implantação da Rede Metropolitana de Porto Alegre (METROPOA). Representou o Brasil no TC6- Comitê Técnico de Comunicação da Dados da IFIP (International Federation for Information Processing. Foi integrante do Comitê Gestor da Internet, representando a comunidade acadêmica. Autora de mais de 150 artigos publicados em periódicos e 290 artigos publicados em congressos, 5 livros e 40 capítulos de livros.

  • Michael Stanton

    Inglês, cidadão brasileiro, doutor em matemática pela U. Cambridge, foi professor-pesquisador de computação e redes do ITA (1971-73), da PUC-Rio (1973-99) e da UFF (1994-2014). Inspirado pela NSFNET (EUA) propôs criar uma rede acadêmica nacional em 1987. Foi coordenador de P&D do projeto Rede Nacional de Pesquisa - RNP (1990-93), diretor de P&D (2002-18) e Cientista de Redes (desde 2018) da RNP-OS. Contribuiu a projetos de infraestrutura de redes acadêmicas no país, na América Latina e internacionais, e foi premiado pelo LACNIC (Trajetória 2018) e pela Internet Society (Hall of Fame 2019) por suas contribuições ao desenvolvimento da Internet.

  • Nelson Simões da Silva

    Engenheiro de Computação formado pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e mestre em Políticas de Comunicação pela Universidade de Brasília. É Diretor-geral da RNP, responsável pela ciberinfraestrutura nacional de serviços e aplicações de alto desempenho que engloba as 800 principais organizações brasileiras de ensino superior, pesquisa e inovação. Atuou como conselheiro do CGI.br, como representante da comunidade científica e tecnológica. Foi fundador e diretor da Cooperação Latino-Americana de Redes Avançadas (CLARA).

  • Paulo Henrique de Aguiar Rodrigues

    Prof. Titular da UFRJ, Eng. Eletrônico pelo ITA, mestrado pela Coppe, com doutorado e pós-doutorado na Universidade da Califórnia, Los Angeles. Em 87, assumiu a presidência do Laboratório Nacional de Redes de Computadores -LARC (até 91) e teve atuação decisiva na flexibilização do marco regulatório Telebrás para o surgimento de redes no país e sua interconexão com o exterior. Conduziu projetos de P&D pioneiros, que viabilizaram a criação tanto da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) como da Rede Rio – FAPERJ. Na década de 90, coordenou projetos VoIP que deram origem ao serviço fone@RNP. Em 2017, foi agraciado com o certificado de Construtor da Internet no Brasil, Categoria Nacional. Em 2020, recebeu o Prêmio Destaques em Governança da Internet no Brasil, outorgado pelo CGI.BR pela sua valiosa contribuição para o surgimento da Internet no país.

  • Saliel Figueira Filho

    Analista e programador, participou do projeto DIALOG, utilizado nos sistemas da Cobra Computadores, durante a reserva de mercado. Foi coordenador técnico do projeto Alternex, do IBASE - o primeiro serviço de acesso à Internet brasileiro aberto ao público. Coordenou o projeto de rede Internet para a Eco'92 liderado pelo IBASE em parceria com a RNP e a Associação para o Progresso das Comunicações (APC).

  • Silvio Meira

    Professor na cesar.school e cientista-chefe na The Digital Strategy Company, Professor Emérito do Centro de Informática da UFPE, fundador e presidente do conselho de administração do Porto Digital. Em 1996, fundou o Centro de Estudos e Sistemas Avançados do Recife (C.E.S.A.R), do qual fez parte até 2014. Fellow e faculty associate do Berkman Klein Center, da Universidade de Harvard, de 2012 a 2015 e professor associado da Escola de Direito da FGV-RIO, de 2014 a 2017. Atualmente é membro dos conselhos do Magalu, MRV, CI&T e CAPES.

  • Artur Coimbra de Oliveira (Contribuição em políticas públicas para o desenvolvimento da Internet nos últimos 10 anos)

    Participou do grupo que originou o Programa Nacional de Banda Larga, em 2010. Desde então, ocupa o cargo de Diretor de Banda Larga do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, tendo formulado e executado uma série de políticas públicas e iniciativas que objetivam expandir o acesso à Internet no Brasil.

  • José Gontijo (Contribuição em políticas públicas para o desenvolvimento da Internet nos últimos 10 anos)

    Graduado em Engenharia Elétrica pela Universidade de Brasília, com especialização em Gestão Pública em Ciência e Tecnologia, desde 2009 é servidor de carreira do MCTIC. Atualmente é Diretor do Departamento de Ciência, Tecnologia e Inovação Digital (DECTI) com passagens pela Anatel, Ministério da Ciência e Tecnologia e Ministério das Comunicações.

  • Miriam Wimmer (Contribuição em políticas públicas para o desenvolvimento da Internet nos últimos 10 anos)

    Doutora em Políticas de Comunicação e Cultura pela Faculdade de Comunicação da UnB, Mestre em Direito Público e graduada em Direito pela UERJ. É Diretora de Serviços de Telecomunicações no MCTIC e professora do IDP e em diversas instituições de ensino de nível superior e servidora pública desde 2007. Na Anatel, foi coordenadora da CBC-4, e desde 2011 ocupou diferentes cargos de direção no Ministério das Comunicações e no Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações.